O que você diria para os negociadores que estão na COP 17?

Por Felipe Lobo comentário(s)

Os olhos do mundo, ao menos no que se refere ao meio ambiente e estilo de vida sustentável, estão voltados desde o último domingo para Durban, cidade litorânea da África do Sul. É lá que acontece, durante as próximas duas semanas, a COP 17 (17ª Conferência das Partes da Convenção da ONU sobre Mudanças Climáticas), reunião mais importante do ano sobre aquecimento global organizada pelas Nações Unidas. São esperados os principais negociadores e líderes mundiais.

Em pauta, principalmente, a possibilidade de aumentar o período do Tratado de Quioto, com fim previsto para dezembro de 2012. Segundo ele, todos os países pertencentes ao Anexo I, ou seja, aqueles desenvolvidos e que historicamente emitiram gases de efeito estufa para a atmosfera – a partir da Revolução Industrial – devem reduzir, em média, 5,2% do lançamento de carbono até 2012, com base no ano de 1990.

São três os principais problemas: este número, embora pouco ambicioso, ainda não foi alcançado; os países europeus querem que gigantes como Brasil, China e Índia assumam reduções obrigatórias das emissões, além, é claro, dos Estados Unidos (e ninguém mostra-se muito disposto a fazê-lo, principalmente os EUA); O IPCC, Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas da ONU, composto por mais de mil cientistas de todo o mundo, avisou com todas as letras – para que os efeitos das mudanças no clima não sejam absolutamente drásticos, a temperatura não pode aumentar em mais de 2 graus centígrados até o final do século.

Enquanto a COP 15, em Copenhague, na Dinamarca (2009), era aguardada como a mais importante reunião climática do planeta, a COP 16, em Cancún (2010, no México), progrediu um pouco com a definição de um Fundo Verde para mitigação dos efeitos das mudanças climáticas em países em desenvolvimento, além da inclusão do REDD (Redução de Emissões por Desmatamento e Degradação Florestal) no documento final.

Agora é torcer para que as discussões na COP 17 fujam dos interesses políticos e caminhem em direção a um futuro mais sustentável e equilibrado.

Se você pudesse falar com os negociadores presente à COP 17, o que diria?

 

*Com informações de O Eco, WWF Brasil e UNFCCC

 

Posts relacionados